(31) 3500-2990
(31) 3500-2990 | (11) 4673-0774
contato@educarebox.com

Reunião de pais: como fazer e ter resultado

A reunião de pais é um dos momentos que pode representar sentimentos bem distintos para pais e professores. Enquanto os pais podem se sentir ansiosos em saber do progresso dos filhos, muitos professores temem sua reação quando as notícias não são muito boas.

Porém, esses encontros podem ser muito produtivos ao ajudar a escola e os responsáveis a compreender melhor o universo do aluno e agirem conjuntamente.

Para que as reuniões de pais sejam mais eficientes e gerem resultados de verdade para sua escola e para os estudantes, separamos algumas dicas no post de hoje.

Reunião de pais: qual a importância dela?

A reunião de pais possui enorme valor para melhorar o desempenho escolar dos alunos. Por meio dela, pais e professores podem enxergar melhor erros e acertos, refletindo esse aprendizado no ensino coletivo e individual dos alunos.

Com esses encontros a escola também consegue se aproximar dos pais e comunicar melhor seu projeto de educação. Isso gera uma parceria que beneficiará toda a comunidade escolar, além de gerar uma percepção muito positiva da escola.

Participação dos pais melhora o desempenho dos alunos

Dados do Programa Internacional de Avaliação de Estudantes (Pisa), com estudantes de 70 países (mais informações nesse link do Mapa da Aprendizagem), apresentaram números interessantes sobre a participação dos pais na vida escolar dos filhos.

A avaliação focou no ensino de ciências, mas os dados podem expressar o ensino como um todo. A pesquisa revelou que alunos com pais participativos na vida escolar tiveram desempenho de 414,08 pontos. Já aqueles com pais menos participativos conquistaram 357,19 pontos.

Ao todo, 50,2% dos alunos têm pais participativos, colocando o Brasil na 24º posição entre 49 países com o dado disponível. Há diferença da participação dos pais de acordo com o nível socioeconômico das famílias. Enquanto os com menor nível socioeconômico tiverem 46%, os com maior nível socioeconômico tiveram 63,2%.

Reunião de pais: quais os desafios

Mas se a participação dos pais é tão importante e eficiente, quais as dificuldades para realizar uma reunião de pais? Listamos a seguir os desafios e as dicas para superá-los!

1 – Fazer os pais aparecerem na reunião

A ausência dos pais em uma reunião importante como essa é bastante sentida. Em muitos casos a sua presença seria de grande ajuda para os professores diante de alguma situação específica. Conseguir a presença desse pais nem sempre é fácil.

Considerando o cotidiano, com trabalho e diversas tarefas ao longo do dia, um grande erro é marcar reuniões à tarde. À noite é o melhor horário, pois ainda que cansados de um dia de trabalho, a disponibilidade de um encontro que não é tão regular assim será melhor aceita.

Existem os casos de esquecimento, mas são simples de evitar. Uma ferramenta poderosa contra isso é a agenda digital EducareBox. Além de facilitar a comunicação com os pais no dia a dia, acaba sendo de grande ajuda para lembrá-los do compromisso.

2 – Os pais podem ficar confusos com as discussões

Deixar para compartilhar informações sobre o desempenho dos alunos só na reunião de pais, pode ser bem ruim. Muitas dúvidas podem surgir, mas talvez não sejam devidamente tratadas ali, seja pelo tempo ou pela timidez de alguns pais.

Uma forma de evitar isso é manter os pais atualizados sobre seus filhos no dia a dia.

O uso de uma agenda digital vai facilitar isso. Por meio de um aplicativo escolar, pais e alunos têm acesso à agenda de atividades, notas, comunicados enviados pelo colégio, etc. Tudo isso apenas baixando o aplicativo e o melhor: em tempo real!

Dessa forma os pais já iriam para a reunião com várias informações prévias sobre seus filhos, tornando o encontro mais rápido e eficiente.

3 – Como passar um feedback negativo

Os pais tendem, em geral, a achar que seus filhos são perfeitos. Alguns acreditam que se o desempenho escolar for abaixo do esperado o problema está na escola ou no professor.

Isso torna bem mais delicado dar um feedback negativo sobre um estudante.

Quando houver um feedback negativo a passar, sugerimos seguir uma estrutura de contexto para melhorar a recepção dos pais.

Primeiro, contextualize a situação em que percebe-se a dificuldade do aluno. Compartilhe observações específicas e objetivas sobre esse ponto negativo.

Em seguida, descreva como as ações do aluno afetam seu desempenho e até o do coletivo, se for o caso. Isso é importante.

Por fim, pergunte aos pais como eles acreditam que o problema pode ser resolvido de maneira produtiva. A ideia é que vocês se aproximem do problema como parceiros.

E lembre-se: tenha empatia, educação e leveza ao dar um feedback negativo.

4 – O modo como os pais vão transmitir o feedback aos alunos

Não dá para saber como, e se, os pais irão compartilhar o que aprenderam na reunião de pais com os filhos. É importante orientá-los quanto ao modo de fazer isso de forma a gerar um impacto positivo nos alunos.

Um grande erro que muitos pais cometem, sem as devidas orientações, é ser excessivamente enérgicos e até agressivos com os filhos. Agir assim não é produtivo e pode gerar mais danos e distanciamento do que aproximação, compreensão e resultado.

Oriente os pais sobre como abordar as informações da reunião com os filhos. Nem tudo precisa ser compartilhado, mas o que for preciso deve ser feito do jeito certo.

5 – Oriente os pais sobre como ajudar o progresso dos filhos

Não é só o modo de abordar os temas da reunião que gera dúvidas nos pais. Eles também podem ficar confusos quanto a como agir para ajudar os filhos a melhorarem.

Isso pode significar entregar uma cartilha ou até mesmo reestruturar a reunião de pais e professores.

Nesse modelo, pode-se propor uma reunião com os pais para discutir os dados acadêmicos da turma com o professor. Assim, podem fornecer conselhos ou apoio para ajudar os alunos. Analisando o desempenho com o professor é possível até criar metas acadêmicas.

O plano e os resultados são analisados ​​pelos pais, alunos e professor durante o ano, com modificações feitas quando necessário.

Reunião de pais pode não ser suficiente

Apesar de sempre válida, há casos em que uma reunião de pais pode não ser suficiente para ajudar os alunos.

Em uma escola pública de San Diego, reuniões e trocas rápidas com professores mostraram-se insuficientes para que os pais se sentissem confiantes em apoiar o desenvolvimento acadêmico de seus filhos.

Em resposta, a escola estabeleceu oficinas de pais nas quais os professores convidam os pais para a sala de aula durante o dia escolar. Os alunos compartilham seu trabalho com os pais pela primeira meia hora.

A seguir, os professores fazem uma apresentação de 30 minutos apenas para os pais. Ela se baseia no trabalho que os alunos estão fazendo na escola. Por fim, os professores fornecem jogos, sites, leituras que as famílias podem usar com os filhos em casa.

Exemplos de comunicação entre escola e pais

Para ajudar os alunos a se apropriarem de seu aprendizado e manter as linhas de comunicação abertas entre a escola e a casa, a Wildwood IB World Magnet School, escola pública de Chicago, realiza reuniões conduzidas por estudantes duas vezes por ano. Os alunos apresentam um portfólio de trabalho para seus pais e professores e respondem a sugestões de reflexão como: “Tenho tido sucesso em …” e “Ainda preciso de ajuda com …”. Na semana anterior à conferência, os alunos passam de 10 a 15 minutos por dia aprendendo sobre o que faz uma boa conferência conduzida por alunos e praticando suas apresentações. Em outra escola, em Worcester, Massachusetts, em reuniões conduzidas por alunos, eles compartilham seus pontos fortes e fracos, estabelecem metas acadêmicas e comportamentais e solicitam apoio quando necessário. Eles usam modelos guiados para criar uma pauta, refletindo sobre como foi a reunião e fazendo as alterações necessárias na reunião de acompanhamento algumas semanas depois. No último ano escolar, as reuniões lideradas por estudantes são voltadas para a faculdade e carreira. Os alunos discutem seus interesses profissionais e o que esperam da faculdade e, em seguida, criam um plano de ação para que consigam alcançar tais objetivos.

Reunião de pais: 15 dicas para torná-la muito melhor

  1. Conscientize os pais de sua importância na reunião;
  2. Mantenha contato frequente com os pais, não só na reunião;
  3. Planeje uma reunião que aproveite bem o tempo e tenha foco;
  4. Não fuja das perguntas dos pais, mas pense bem ao respondê-las;
  5. Organize-se, tenha as informações necessárias à mão;
  6. Crie um ambiente de igualdade, conforto e segurança;
  7. Aluno em dificuldade? Comente com empatia e foque na solução;
  8. Cuidado ao generalizar comentários e avaliações, seja específico;
  9. Tenha clareza, objetividade e segurança na fala;
  10. Quebre a defensiva dos pais valorizando pontos positivos do aluno;
  11. Seu corpo fala, portanto cuidado com seus gestos e expressões;
  12. Mostre aos pais que o esforço deve ser de todos, pelo bem do aluno;
  13. Deixe os pais se expressarem, ouça-os com atenção e respeito;
  14. Faça a ata da reunião, mas compartilhe apenas informações pertinentes;
  15. Ao finalizar a reunião, reforce o valor que ela tem e agradeça pela presença.

CONCLUSÃO

Reunião de pais é coisa séria, tem muito valor e quando bem planejada e conduzida, torna-se um instrumento a favor do aluno.

Lembre-se de que os pais precisam entender o valor que sua participação terá na vida dos estudantes. Envolva-os no dia a dia, com bom senso e equilíbrio, não apenas na reunião.

Faça desse momento uma oportunidade de aprendizado para todos e procure sempre extrair ideias e informações que beneficiarão pais, alunos e professores.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

×

Olá!

Clique em um de nossos representantes para iniciar um chat ou envie um email para contato@educarebox.com

× Fale conosco